Notícias de Última Hora
Home / Teatro / Conto de Inverno, de William Shakespeare, está em cartaz no Viga Espaço Cênico com montagem do Núcleo Sem Querer de Tentativas Teatrais

Conto de Inverno, de William Shakespeare, está em cartaz no Viga Espaço Cênico com montagem do Núcleo Sem Querer de Tentativas Teatrais

A comédia Conto de Inverno, escrita por William Shakespeare entre 1610 e 1611 foi a obra escolhida pelo Núcleo Sem Querer de Tentativas Teatrais para encerrar a Trilogia da Taverna, uma seleção de peças de diferentes períodos, nacionalidades e temáticas encenadas pelo grupo desde 2015. O núcleo se propõe a nos levar ao universo do Shakespeare, que pode ser compreendido nos novos tempos, por meio da tradução e adaptação feita por Bruna Longo. A intenção é apresentar ao público jovem um espaço que transita entre a Tragédia e a Comédia, a interpretação realista e a catártica, além do teatro popular farsesco e burlesco. A peça está em cartaz no Viga Espaço Cênico, com sessões aos domingos, segundas e terças.

“Acreditamos que dar acesso a uma obra tão rara e tão pouco conhecida desse autor é difundir a teatralidade em sua essência”, conta Juliano Barone, diretor do espetáculo, sobre a escolha de encenar Conto de Inverno. O elenco é formado por 16 atores/músicos que ocupam a Sala Taverna, espaço criado pelo multi-artista Kleber Montanheiro que se tornou o palco da companhia, desde seu primeiro trabalho. O desafio da obra é dar vida aos cinco atos da peça inglesa tendo como base a discussão sobre a loucura e o autoritarismo sem perder de vista a esperança e o otimismo inerentes à vida humana. O enredo nos conta sobre um rei que fica louco de ciúmes e manda prender e matar a própria esposa por acreditar que ela está se relacionando com seu amigo de infância.

O diretor conta que a Trilogia da Taverna é composta por três peças que evidenciam questões importantes na sociedade em diferentes épocas tais como: o papel da mulher na sociedade, o autoritarismo, o machismo enraizado, o fomento a cultura e ao teatro e a autocrítica dos atores do núcleo como artista são a base da escolha das obras para a trilogia. As duas primeiras peças são O Impostor Geral, baseado em O Inspetor Geral, do dramaturgo russo Nikolai Gogol; e Fuente Ovejuna, do dramaturgo espanhol Lope de Vega.  “Também são peças que permitem o estabelecimento de certa intimidade entre os artistas e o público, pois as questões são muito do nosso contexto social e político”, explica Juliano.

Nas três montagens, também há uma progressão de densidade, sendo a primeira a mais leve e, a mais recente, a que contempla temas e passagens mais espinhosas. Nos três trabalhos foi utilizado o recurso do teatro de máscaras, uma linguagem que vem se tornando parte da estética da companhia. A primeira peça utiliza máscaras inspiradas nos bufões; a segunda usa máscaras expressivas e, a terceira, máscaras expressivas próprias da commedia dell’arte.  

Além disso, o diretor também destaca que as três peças não contam com uma grande quantidade de montagens profissionais, o que reforça a importância de estarem sendo exibidas ao público sob a linguagem do grupo. “São espetáculos de extrema importância para todos aqueles que estudam e trabalham com teatro de maneira geral, mas que pouco podem ver essas obras em cartaz com frequência.” complementa Juliano Barone.

Sobre a Cia

O Núcleo Sem Querer de Tentativas Teatrais foi criado pelo pesquisador Juliano Barone em comunhão com os atores Juliane Arguello, Marcus Veríssimo, Monique Fraraccio, Pedro Casali e Priscilla Dieminger, com o objetivo de ser um espaço de tentativas estéticas propostas pelos integrantes do núcleo, tendo como foco de trabalho a transposição de clássicos para uma instalação cênica hoje localizada no Viga Espaço Cênico.

O diferencial está na apresentação de um trabalho com extremo rigor estético, músicas ao vivo, composições originais, produções cuidadosas e bem elaboradas que agradam o público de todas as faixas etárias, tendo sempre como premissa a pesquisa do trabalho do ator com a máscara, o teatro épico e a música cênica.

O Núcleo ainda conta com artistas convidados que trabalham nos treinamentos e pesquisas em parceria com o elenco e equipe de produção. São estes Joca Andreazza (treinamento em máscara), Jair Correia (confecção de máscaras), Wagner Passos (direção musical e composição), Kleber Montanheiro (cenário e figurino), Guryva Portela (direção de movimento), Daniela Biancardi (treinamento em bufão), Angélica Salom (acrobacias circenses), Kjell Sandvik (Treinamento em Música Tribal) e Bruna Longo (direção de movimento). A estreia oficial aconteceu com o espetáculo O Impostor Geral, com direção de Juliano Barone no Viga Espaço Cênico, em 2015.

Sinopse

Leontes, Rei da Sicília, se convence de que seu amigo de infância Políxenes, Rei da Bohêmia, vive um caso de amor com sua esposa, a rainha Hermione. Enlouquecido de ciúmes manda prender sua esposa que esta grávida e rejeita sua filha, Perdita, esta que após 16 anos é acolhida por pastores e vive um romance com Florizel, príncipe da Bohêmia

Ficha Técnica

Texto: William Shakespeare. Direção Geral: Juliano Barone. Assistente de Direção: Marcus Veríssimo. Tradução e Adaptação: Bruna Longo. Direção Musical: Wagner Passos. Composição: Lino Colantoni, Lisi Andrade, Marcus Veríssimo e Wagner Passos. Músicos: Gabriel Ferrara, Lino Colantoni, Lisi Andrade, Marcus Veríssimo e Murilo Inforsato. Treinamento em Máscara: Joca Andreazza. Treinamento Musical: Lino Colantoni. Treinamento em Música Tribal: Kjell Sandvik. Direção de Movimento: Bruna Longo. Confecção de Máscaras: Jair Correia. Cenário /Figurino: Kleber Montanheiro. Assistente de Figurino: Thais Boneville. Iluminação: Gabriele Souza.Identidade Visual: Danilo Ferrara. Produção: Maju Tóffuli. Assessoria de Imprensa: Ensaio Comunicação. Elenco: Ana Hikari, Evas Carretero,Juliane Arguello, Leonardo Vaz, Lino Colantoni. Lisi Andrade, Lucas Lentini, Mariele Goergen, Marcus Veríssimo,  Monique Fraraccio, Murilo Inforsato, Pedro Casali,  Priscilla Dieminger e Rodrigo Holanda. Stand-in:Daniela Duarte e Cássio Prado. Elenco de Apoio: Daniela Duarte e Gabriel Ferrara.


Serviço

Conto de Inverno

De 7 de abril a 21 de maio. Domingos, segundas e terças, às 15 horas (no domingo de páscoa, 27 de abril, não haverá apresentação).

Local: Viga Espaço Cênico (Rua Capote Valente, 1232) – Sala Taverna

Classificação indicativa: 14 anos. Capacidade: 40 pessoas. Duração: 110 minutos. Ingressos: Aos domingos, R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Segundas e terças, grátis.

Sobre ArteView

Avatar

Veja Também

Espetáculo Coronel Mostarda com a chave Inglesa na cozinha no Teatro dos Arcos

As cartas são sorteadas pela plateia antes mesmo de entrarem na sala de teatro. Neste …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.