Notícias de Última Hora
Home / Cinema / ‘A Pequena Sereia’ de Vladimir Capella, dirigido por Paulo Ribeiro, dia 8 de outubro no Teatro Brigadeiro

‘A Pequena Sereia’ de Vladimir Capella, dirigido por Paulo Ribeiro, dia 8 de outubro no Teatro Brigadeiro

Com direção de Paulo Ribeiro (O Poeta e as Andorinhas e Alladin), a adaptação teatral de Vladmir Capella conta com mais de 100 figurinos, 20 atores, 12 cenários, projeções em vídeo, trilha sonora original e efeitos especiais.

A Pequena Sereia conta a história de uma sereia que, ao atingir a maioridade, recebe a permissão de seu pai para visitar a superfície do mar. É nesse dia que a sereiazinha apaixona-se por um príncipe e, para conquistá-lo, pede ajuda à bruxa do mar. Ela fica sabendo então que, para realizar seu desejo, teria de abrir mão daquilo que lhe é mais valioso… Essa é uma história que mostra que os sonhos e as esperanças podem ser maiores do que tudo.

Uma das principais obras do escritor Hans Christian Andersen chega aos palcos paulistanos. No elenco estão Ana Saab, Lorenzo Martin, Débora Nascimento, Ana Paula Vieira, Rafaela Veronese, Rodrigo Zappa, Roberto Li Marques, Luiza Porto, Andressa Andreatto, Edu Martins, Débora Rebecchi, Silvia Ferreira, Mariana Siqueira, Sônia Loureiro, Anderson Soares, Nill de Pádua, Diego Biaginni, Leandro Rocha, Felipe Caczan e Janaína Enguel.


Traduzida pelo autor Vladimir Capella, esta versão do infantil visa resgatar a narrativa original, onde a sereia que sonhava em virar gente vive um grande drama existencial. “Ao pensar em adaptar para o teatro esse pequeno conto da sereiazinha que queria ser humana, me vi diante de uma grande história. Triste, profunda e humana “, conta Vladimir.

Esta proximidade da adaptação brasileira com o original do escritor dinamarquês visa provocar na plateia uma reflexão sobre a vida e algumas delicadas questões, primando pela fidelidade às suas ideias e aos significados nelas embutidos. O espetáculo, portanto, não se restringe ao público infanto-juvenil e tampouco segue a linha de entretenimento da versão criada pela Disney, com direito a um final feliz inventado.

A saga da criatura marítima que sonha com o príncipe e perde a voz para ganhar pernas marca um espetáculo sóbrio e, ainda assim, lúdico. Onde todos, sereias e humanos, serão levados aos devaneios deste dinamarquês do século XIX.

A Pequena Sereia escrita por Hans Christian Andersen esconde, por trás de uma narrativa inocente para entreter crianças, um grande drama existencial.Aliás, bem ao estilo do escritor dinamarquês que, confessadamente, visava atingir os adultos com seus contos infantis.

Com o passar dos anos, a característica de entretenimento da obra acabou prevalecendo sobre o conteúdo, principalmente e, sobretudo a partir da versão criada pela Disney, que a popularizou e a difundiu pelo mundo todo. E a pequena sereia, então, acabou virando uma história de final feliz, coisa que não acontece no conto original de Andersen. Não foi assim que a criou, nem era dessa maneira que ele procurava expor seu pensamento sobre a vida e as delicadas questões que ela apresenta.

Por que será que não a reproduzem tal como foi criada? Por que a sociedade atual insiste em afastar a dor do nosso dia-a-dia como se com isso pudesse fazê-la deixar de existir?

“Bem, digressões à parte, por entender que a verdadeira função do artista é maior que a do mero entretecedor, eu só poderia transcrever para o teatro a saga da pequena sereia de Andersen, tal qual ela foi concebida. E com esse propósito, me debrucei no conto original e, como não podia deixar de ser, terminei sonhando os sonhos da personagem, lutando e sofrendo com ela pela conquista de seus objetivos e, por fim, chorando por seu indesejado destino. Mas, saí íntegro porque consegui devolver à pequena sereia a sua verdadeira história. Triste, profunda e humana. Do jeito que o escritor a escreveu.” disse Capella.

A PEQUENA SEREIA

Teatro Brigadeiro (700 lugares) – Av. Brigadeiro Luis Antonio, 884
Informações: 3107.5774 / 3115.2637
Vendas: www.ingresso.com e 4003.2330
Bilheteria: a partir de terça, às 14h. Aceita cartões de débito e dinheiro.
Estacionamento conveniado Gigante, nº 759 – R$ 10
Sábados e Domingos às 16h
Ingressos: R$ 40
Sessão extra Dia das Crianças: quarta, dia 12, às 16h
Duração: 60 minutos
Recomendação: livre

Estreia dia 8 de outubro
Curta Temporada: até 13 de novembro

Sobre Luiz Henrique Leão

Avatar

Veja Também

Aline Serra é protagonista do filme O Poço

O longa-metragem “O Poço” aborda a reflexão sobre a depressão no indivíduo e na sociedade. …

um comentário

  1. Avatar

    PARABÉNS !!!!!!!!!!!!!! ESSA FOI A PEÇA MAIS BONITA QUE EU JÁ VI , FOI PERFEITA
    OS ATORES MARAVILHOSOS , O FIGURINO IMPECÁVEL , A ILUMINAÇÃO EXCELENTE O CENÁRIO NOTA 1000.O BRASIL PRECISA DE MAIS ELENCOS COM O NÍVEL DE VCS, PRECISAMOS INCENTIVAR AS NOSSAS CRIANÇAS PARA TEREM CONTATO COM A CULTURA E ATRAVÉS DELA A EDUCAÇÃO .
    CAMILA MEGDA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.